top of page
Buscar
  • Foto do escritorVA comunicacao

Feira Nacional do MST reuniu 320 mil pessoas em São Paulo


Foto: Daniel Violal

As famílias Sem Terra levaram para São Paulo cerca de 560 toneladas de produtos in natura e beneficiados, reunindo uma diversidade de produtos com mais de 1730 itens diferentes, comercializados na feira, apreciados por cerca de 320 mil pessoas que passaram pelo Parque da Água Branca, região central da cidade de São Paulo durante os quatro dias do evento.


Foto: Jonas Santos

Também foram destinadas 38 toneladas de alimentos para a ação de solidariedade para 24 entidades da cidade, que vão chegar às famílias mais carentes, que mais precisam sob a coordenação do Padre Júlio Lancellotti.


“A Feira Nacional da Reforma Agrária foi um absoluto sucesso. Passaram pelo espaço o vice presidente Geraldo Alckmin, sete ministros de Estado, dezenas de parlamentares de todo o Brasil. No domingo, foi a vez do governador da Bahia, Jerônimo Rodrigues, visitar a feira ao lado de sua família e convidados”, disse o deputado federal Valmir Assunção (PT-BA).


Cultura Popular


A Feira cumpriu o objetivo de ser uma grande festa da cultura popular e da resistência camponesa durante os quatro dias, com apresentação de diferentes ritmos: Samba, Maracatu, Jongo, Hip-hop; do teatro à moda de viola, das cinco regiões do país. Foram shows, apresentações, intervenções, tudo isso com muito alimento saudável e comida de verdade.


Com uma programação cultural gratuita contou com shows de artista consagrados, como Zeca Baleiro e Alessandra Leão, Yago Oproprio e Jorge Aragão, Gaby Amarantos e Johnny Hooker, Camisa Verde e Branco, e um fechamento especial com o Show “Terraça”, pensado especialmente para a feira, além de grupos populares, intervenções, e muita música.


Ao todo, 412 artistas passaram pelo evento, além de diversos influenciadores,

comunicadores e apoiadores do MST do Brasil e de outros países.


Para o público que pode comparecer em algum momento dos quarto dias de feira, o evento foi uma oportunidade de conhecer a diversidade e a qualidade dos alimentos que vêm dos assentamentos e acampamentos da Reforma Agrária, livres de agrotóxicos e transgênicos. Foram frutas, verduras, legumes, grãos, mel, queijos, doces, geleias, cachaças, vinhos, fitoterápicos, mudas e muito, muito mais.


Foto: Jonas Santos

A Culinária da Terra, espaço dedicado à gastronomia regional, os cheiros e sabores que dão o tempero da Feira também veio com tudo, chegando a 80 mil refeições servidas. Os 95 pratos de 30 cozinhas diferentes, com a cultura de cada cantinho do país.


Debate Político


E como em todos os espaços do MST, também teve espaços de educação e debates políticos, com 15 atividades de formação, entre seminários e oficinas, que contaram com a participação de 2 mil pessoas. Durante o evento ocorreram seminários, oficinas, debates e lançamentos de livros sobre temas que deram o tom de assuntos ligados à agroecologia, feminismo, luta antirracista, educação do campo, Reforma Agrária Popular e conjuntura nacional. A feira é um espaço de diálogo entre o campo e a cidade, de denúncia das injustiças sociais e ambientais e, de celebração das lutas e conquistas do povo brasileiro.



Foto: Jonas Santos

Os visitantes também puderam conhecer a prática de viveiros agroecológicos implantada nos assentamentos e acampamentos do Movimento, uma das ações concretas do Plano Nacional Plantar Árvores, Produzir Alimentos Saudáveis, com o desafio de plantar 100 milhões de árvores no país. Ao longo da feira foram doadas mais de 20 mil mudas e cerca de 880 quilos de sementes.


Com Página do MST

6 visualizações0 comentário

Commentaires


bottom of page