Buscar
  • VA comunicacao

Valmir reúne lideranças nacionais do PT para lançar site e defende ‘intervenção’ de Bolsonaro


Fernando Haddad, Jaques Wagner, Valmir Assunção e Rui Costa em debate pela intervenção do presidente da República - FOTO: Reprodução/Zoom |

Com mais de mil pessoas online, a plenária do deputado federal Valmir Assunção (PT-BA) reforçou o pedido de vacinação em massa, de garantias dos direitos trabalhistas, ampliação do auxílio emergencial e de políticas para conter os efeitos gerados pela pandemia. Durante todo o sábado (20), lideranças petistas de diferentes estados debateram os temas e focaram no processo conjunto das frentes populares e dos movimentos sociais e sindicais em retirar o presidente Bolsonaro do cargo o quanto antes. “Já não pedimos o impedimento, o nosso ‘fora, Bolsonaro’ é um pedido de intervenção, são quase 3 mil mortos por covid ao dia. Não tem como uma pessoa com experiência em matar ficar no comando do gerenciamento de uma crise sanitária como essa, negando a existência do vírus, das mortes e até da vacina”, dispara Valmir.


Na oportunidade, o parlamentar lançou um site (www.valmirassuncao.com.br) para aproximar a militância dos debates nacionais. No encontro com apoiadores do mandato, militantes de movimentos sociais, incluindo partidos políticos de esquerda, além do anfitrião, foi possível ter acesso a opiniões diversas sobre o mesmo assunto envolvendo a intervenção na Presidência. Todos que participaram na plenária ‘Gerson Pataxó’, em homenagem ao político indígena que faleceu vítima de covid, defenderam vacinação em massa e retomada urgente do auxílio emergencial “para manter o povo em casa sem morrer de fome”. “Classifiquei essa semana o presidente [Bolsonaro] como o grande aliado do vírus. Ele que é o aliado da morte, que está ceifando a vida de muitos brasileiros durante essa crise”, reforça o governador da Bahia, Rui Costa (PT), que também defende o crescimento da luta dos trabalhadores com Lula no cenário político para o pleito de 2022.


Lideranças políticas de diferents regiões do país e da Bahia participaram da plenária no sabado - FOTO: Reprodução/Zoom -

E a defesa de uma base comandada pelo ex-presidente petista também foi defendida pelo ex-prefeito de São Paulo e ex-ministro da Educação, Fernando Haddad (PT). “Temos que ajudar o companheiro Lula a produzir uma plataforma ousada com novos instrumentos e oferecermos ao Brasil uma oportunidade nova para sair dessa crise que assola os brasileiros”. O senador da República, Jaques Wagner (PT-BA), foi outro que destacou o retorno de Lula nos debates nacionais. “Temos um governo absolutamente anacrônico. E o viés autoritário desse presidente é porque ele não sobrevive na democracia por ser um homem que não tem projeto. Bolsonaro não tem projeto para o Brasil, e está perdido com a volta de Lula ao cenário”, descreve o ex-governador, cotado para concorrer ao cargo em 2022.


A plenária também homenageou as vítimas do coronavírus, que somente no Brasil já se aproxima de 300 mil. Participaram do encontro, o ex-candidato a prefeito de São Paulo pelo Psol, Guilherme Boulos, a ex-ministra de Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, e o membro da direção nacional do MST, João Pedro Stédile, que destacou dados fundamentais para a economia do país. “Temos uma pirâmide onde em cima são 40 bilionários que controlam 400 empresas, acumulando dinheiro, capital e embaixo da pirâmide temos 60 milhões de trabalhadores adultos, que foram jogados na sarjeta pelo governo Bolsonaro”.



Os dados, apresentados por Stédile, foram fundamentados pela secretária nacional de Movimentos Populares do PT, Vera Lúcia Barbosa, a popular ‘Lucinha do MST’. “Nunca na história deste país, a classe trabalhadora tem precisado tanto do Partido dos Trabalhadores e das organizações populares”. Um vídeo foi exibido com a carta-compromisso do mandato do deputado Valmir Assunção com foco no povo, nos direitos trabalhistas, na educação no campo, reforma agrária, segurança alimentar, saúde, infraestrutura, emprego e renda, por reparação, distribuição de renda, em defesa das organizações populares e contra a criminalização dos movimentos sociais e sindicais. Participaram também dos debates e do lançamento do site de Valmir, o governador do Piauí pelo PT, Wellington Dias, atual presidente do Consórcio Nordeste, que defendeu que diversos partidos estão atuando para que os estados do Nordeste mantenham “o rumo do apoio mútuo”.


O secretário de Educação da Bahia, Jerônimo Rodrigues, e as titulares de Cultura e Promoção da Igualdade Racial, Arany Santana e Fabya Reis, falaram da importância da força do Sistema Único de Saúde (SUS) durante essa crise sanitária. Ainda estiveram os deputados estaduais Bira Coroa (PT), Marcelinho Veiga (PSB) e Fátima Nunes (PT). A plenária virtual contou também com o deputado federal e ex-ministro da Saúde, Alexandre Padilha (PT-SP), com a parlamentar Benedita da Silva (PT-RJ), com o presidente estadual do PT da Bahia, Éden Valadares, com o reitor da Universidade Estadual Santa Cruz (Uesc), Alessandro Santana, e do reitor da Uneb, José Bites. Membros da EPS e do PT, prefeitos e vereadores, além dos dirigentes estaduais do MST, Evanildo Costa e Lucinéia Durães (Liu), o presidente da Cecaf, Weldes Queiroz, a membro do Coletivo Levante, Sheila Souza, e o Cacique Surytã.



147 visualizações0 comentário